Como comprar a Bike correta

BikeFitAngulosNo artigo: “Quadro ideal X Altura x Comprimento do Cavalo (entre pernas)” publicado na Edição de Julho de 2013 da Revista Bicicleta, foi possível explicar que não existe correlação entre a altura do ciclista e o comprimento do cavalo (entre pernas) na escolha do quadro ideal.

Sempre que esse assunto é abordado, muita polêmica é gerada. Afinal foram anos e anos adotando essa técnica para dizer qual o melhor tamanho de quadro. De repente aparece alguém dizendo que altura, cavalo (entre pernas), top tube, seat tube são informações secundárias na escolha do quadro. Como então não errar na compra?

A geometria, tecnologia e ciência empregados na construção de uma bicicleta evoluíram exponencialmente nos últimos anos, portanto não faz sentido continuar utilizando de meios empíricos e subjetivos para a compra da Bike. Atualmente a grande diversidade de geometrias de quadros tanto de MTB, All Mountain, Road, Time Trial e Triathlon exige uma análise mais profunda da antropometria do atleta, bem como uma análise da sua flexibilidade e capacidade motora. Além disso, é necessário uma ampla conversa com o ciclista a fim de entender qual a sua necessidade em termos de equipamento e uso, caso contrário teremos ciclistas recreativos sofrendo em geometrias “agressivas” de bikes destinadas a alta performance e ciclistas de competição utilizando bikes recreativas.

Recomendamos uma sequencia de passos a serem seguidos para ajudar no perfeito encaixe do ciclista na Bike.

  • Engravide da Ideia
  • Defina seu perfil
  • Estudo Prévio
  • Investimento
  • Pesquisa de Mercado
  • Bike Fit Discover
  • Bike Fit Dinâmico
  • SEJA FELIZ

ENGRAVIDE DA IDEIA

A ansiedade é um dos maiores aliados da compra errada.

Muitas vezes o ciclista se vê diante de uma oportunidade de compra e com medo de não efetuar a compra e vir a se arrepender futuramente, acaba se precipitando e fazendo a compra errada. Portanto é necessário “gestar um pensamento”. Avaliar com calma as possibilidades para tomar a melhor decisão.

Nesse momento a pesquisa, a leitura, o bate-papo, a troca de informações é muito importante. Mas ao mesmo tempo, um cuidado especial deve ser tomado em avaliar as fontes as quais essas informações são buscadas. Avaliar, ponderar e neutralizar os interesses de quem fornece as informações é essencial no momento da decisão. Consulte fontes variadas e veja o que faz sentido, sem cair no senso comum.

DEFINA SEU PERFIL

Muitas pessoas procuram ajuda para comprar uma bike, mas não possuem a mínima noção do uso que farão dessa bike.

Assim defina qual o seu perfil.

Qual uso você fará da bike?
Pretende pedalar terra, asfalto ou cidade?
Pretende fazer trilhas longas?
Pretende fazer trilhas curtas?
Pretende pedalar em rodovias?
Pretende pedalar somente dentro da cidade?
Quantos Km por semana pretende pedalar?
Quantas vezes por semana pretende pedalar?
Depois de quanto tempo pretende trocar de Bike?
Pretende competir em alta performance?
Pretende competir em provas amadoras?

ESTUDO PRÉVIO*

Faça um estudo prévio sobre as variáveis que envolvem uma bicicleta.

Materiais envolvidos na construção dos quadros de bicicletas: aço, cromolibidenio, alumínio, carbono, titanium ou até mesmo bambú e plástico (garrafas pet)
Quadros: hard tail ou full suspension, para aros nos tamanhos 26 – 27,5 – 29.
Grupos da relação de marchas, que envolve: trocadores de marcha, corrente, pedevela, cassete, câmbios dianteiro e traseiro, freios e em alguns casos cubos de roda
Trocadores: rapid fire, sti, grip shift, trigger, etc
Relações de marchas: numero de marchas (10, 11, 18, 20, 24, 27 ou 30); numero de coroas (1, 2 ou 3); numero de cassetes (5, 6, 7, 8, 9, 10 ou 11); mecânico (cabo), eletrônico ou hidráulico
Pedevela: comprimento da pedevala (160, 165, 170, 175, 180 mm); Alumínio ou Carbono
Freios: cantlever, disco mecânico, disco hidráulico, v-brake; tamanho dos rotores (140, 160, 180 ou 203mm)
Suspensão: elastômero, óleo, ar, óleo; com ou sem trava, com ou sem plataforma e ajustes do amortecimento; tamanho da suspensão ((60, 80, 90, 100, 120, 140, 160, 180 ou 200mm), tamanhos das hastes da suspensão (28, 30, 32, 36 ou 40mm), tamanhos das espigas (normal 1-1/8 ou tapered 1-1/8 + 1.5)
Rodas: perfil alto, médio ou baixo; clincher ou tubular; aço, alumínio ou carbono
Pneus: borracha ou kevlar, com ou sem arame, com ou sem câmara, com ou sem selante
CockPit: tamanho, grau de inclinação e material da mesa; formato (High riser, low riser ou flat) do guidão, espessura, material, com ou sem seat back do canote, material, largura, desenho e formato do selim

Além disso, descubram quais são as principais marcas e quais são os diferenciais de cada uma delas e quais atendem a sua real necessidade.

INVESTIMENTO

Defina quanto está disposto a investir na compra da bicicleta.

Dentro do valor estabelecido encaixe o maior numero de opções de componentes de acordo com sua necessidade ou desejo.

Esse ponto é fundamental para refinar o leque de opções. Além disso, você deve saber que ao definir quanto está disposto a investir e quais são os componentes que você mais deseja, os vendedores vão te oferecer bicicletas nas mais diversas configurações e o custo/uso/beneficio será critério fundamental na escolha.

PESQUISA DE MERCADO

Depois de definido os pontos anteriores, chegou a hora de sair as compras.

Faça uma pesquisa de mercado pela internet e em lojas físicas.

Dentro dessa pesquisa escolha quais são os modelos que se encaixam dentro dos critérios citados anteriormente, por enquanto sem se preocupar com o tamanho do quadro.

Selecione quantas marcas e modelos achar interessante, mas o ideal é que tenha pelo menos 4 opções.

BIKE FIT DISCOVER

BikeFitDiscover

Podemos dizer que essa primeira parte é a mais demorada e deve ser feita com muita cautela. Chegou então a hora de avaliar as geometrias das bikes que você selecionou.

Os melhores Estúdios Bike Fit do pais possuem simuladores de posicionamento que permitem ao ciclista pedalar a bike antes da compra. Nesse simulador o Fitter montará os diversos modelos, com as variedades de mesas, selim, guidão, pedevela, dentro das marcas e modelos escolhidos por você. Com esses dados nas mãos é possível pedalar as bikes de interesse antes da compra. Assim o Fitter indicará quais as marcas/modelos e em qual tamanho de quadro e seus respectivos componentes vai melhor lhe atender. E caso ainda exista alguma opção melhor do que as apresentadas por você, o Fitter ainda irá lhe sugerir outras opções que melhor lhe atende. Agora basta comprar sua bike.

FAÇA O BIKE FIT

BikeFitAngulos

É preciso deixar claro que depois de comprar a bike é necessário retornar ao Estúdio Bike Fit para ajustar a bike recém-adquirida. Nessa sessão o posicionamento definitivo do atleta será formatado.

Na escolha do Estúdio Bike Fit, opte por profissionais que trabalhem com métodos dinâmicos, uma vez que o posicionamento estático é completamente diferente do posicionamento dinâmico. Consulte onde o Fitter se formou em Bike Fit e qual metodologia ele utiliza. Conheça a estrutura, os equipamentos, as ferramentas do estúdio e o conhecimento do profissional. Lembre-se que assim como sofrer um enfarto do miocárdio, não é pré-requisito para ser um excelente cirurgião cardíaco, os melhores Fitters não são definidos pelo número de títulos em competições e sim pelo estudo e envolvimento com o Bike Fit, somente depois disso a experiência como piloto de Bike é importante.

Isso tudo pode parecer desnecessário e até ser tratado com desdém por alguns, mas as bikes atuais apresentam muita tecnologia e ciência incorporadas aos seus projetos e isso tudo tem custo, que muitas vezes não é barato. Portanto é necessária certa precaução na compra da bicicleta ideal.

Melhor seguir o passo a passo que fazer um investimento alto ou moderado em um equipamento que não atende as suas necessidades. Isso frustra e desiludi, podendo matar a vontade de pedalar de um ciclista.

Recentemente ouvi de um ciclista a seguinte frase: “Nunca imaginei que coubesse tanta informação ente duas rodas” e isso resume a ciência e tecnologia empregada nesse objeto encantador que é a Bicicleta.

* colaboração Gabriel Maia em Estudo Prévio