#ecmbf rompendo fronteiras.

boa vista roraima… abro minha agenda e no primeiro horário da manhã está escrito: 10/09/2013 – 08:00 – Pedro – Boa Vista Roraima – Bike Fit Discover. Por um momento bate uma sensação agradável de conquista. Atualmente o Estúdio Carlos Menezes já atendeu ciclistas de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Espirito Santo, Bahia, Tocantins, Goiás, Mato Grosso e agora Roraima. Talvez isso se deva um pouco ao espirito Distribuidor” natural da cidade de …

Hoje antes de sair de casa para o trabalho, abri a internet na página do Jornal Correio de Uberlândia no objetivo de me inteirar das noticias e novidades da nossa cidade e região.

De cara me chama a atenção do lançamento do livro do Sr. Alair Martins intitulado “Alair Martins. A aposta na confiança e no relacionamento”, narrando todo o caminho por ele percorrido desde a sua infância no distrito de Martinésia localizado a 17 km da cidade de Uberlândia até a construção de um dos maiores impérios atacadistas da América Latina.

Ao mesmo tempo abro minha agenda e no primeiro horário da manhã está escrito: 10/09/2013 – 08:00 – Pedro – Boa Vista Roraima – Bike Fit Discover. Por um momento bate uma sensação agradável de conquista. Muito longe de se comparar ao Sr. Alair Martins, mas de entender o que significa romper fronteiras. Recordei-me do dia em que tornei público que abandonaria 10 anos de dedicação ao ensino universitário para investir em uma empresa de Soluções Esportivas e Bike Fit, a quantidade de palavras desmotivadoras que ouvi e hoje meu trabalho faz com que pessoas desloquem mais de 3000 km na certeza de encontrar um trabalho que atenda as suas expectativas. Isso não tem preço.

Atualmente o Estúdio Carlos Menezes já atendeu ciclistas de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Espirito Santo, Bahia, Tocantins, Goiás, Mato Grosso e agora Roraima.

Talvez isso se deva um pouco ao espirito “Distribuidor” natural da cidade de Uberlândia. Mas muito nos enche de orgulho e responsabilidade saber que cada vez mais, pessoas saem de mais longe na busca pelos nossos serviços. E mesmo conhecendo outros serviços de Bike Fit mais próximos de suas casas, mesmo assim esses ciclistas nos procuram, pelo simples fato de confiar em nosso trabalho e conhecimento.

Isso me faz recordar dois anos atrás, toca o telefone do Estúdio e a pessoa se apresenta como João da Cidade de São Paulo. Ele manifestou que leu meus artigos publicados na revista Bicicleta e que estava interessado em fazer um Bike Fit, mas como estava a mais de 600 Km de distância, não teria como se deslocar para realizar o Bike Fit no Estúdio Carlos Menezes de Bike Fit. Nesse dia, estava em um horário vago e pude desprender um bom tempo conversando com João, explicando que Bike não se compra pela altura do ciclista ou comprimento do cavalo. Dei algumas orientações para que ele pudesse escolher a bike correta, já a distância o impedia de realizar o Fit comigo.

Passado alguns dias abro meu computador e lá está: 20/02/2011 – 08:00 – Pedro – São Paulo/São Paulo – Bike Fit Discover. Ao receber o ciclista no Estúdio, durante a realização do FIT pergunto o que fez com que ele mudasse de ideia e se deslocasse mais de 600 km para realização do seu FIT. A resposta foi simples e inteligente: “Carlos, quando procurava por ajuda em minha cidade recebia respostas vagas e sem fundamentos, assim preferi não arriscar. Ao conversar com você por telefone percebi que Bike Fit não é brincadeira. Tem muita ciência envolvida”

O tempo passa e no último final de semana estou eu em São Paulo para participar do Shimano Fest. Como cheguei um dia antes, decidi circular pelas lojas para conhecer os serviços oferecidos afim de aprimorar nosso trabalho. Me dirijo para uma das maiores lojas da cidade e sem me identificar começo um diálogo como o atendente:

boa vista roraima

Carlos: “Por favor, vocês tem Bike Fit”
Atendente: “Sim. Você quer marcar um horário?”

Carlos: “Sim. Mas poderia me explicar como funciona?”
Atendente: “Temos 2 tipos diferentes, um que se faz com os eletrodozinhos e o outro que é normal. Qual a sua Bike?” (logo imaginei que os eletrodozinhos e o Retul e o outro não faço nem ideia)

Carlos: “Então. Ainda não tenho a bike. Quero fazer o fit para descobrir o tamanho e fazer a compra e na sequencia ajustar a bike”
Atendente: “Quanto você tem de altura?”

Carlos: “1.68 metros”
Atendente: “Sua bike é 17. É só escolher ai na loja, qual bike 17 ai da loja você quer e marcar seu Bike Fit”

Carlos: “Mas é simples assim? Não precisa fazer uma avaliação? Uma simulação para saber qual minha melhor opção?”
Atendente: “Simples não é. Exige muito conhecimento. Mas sua bike é 17,5.”

Carlos: “Ok. Vou pensar melhor qual bike eu quero e em seguida marco um horário. Pode ser?”
Atendente: “Sim. Claro”

É uma pena que um serviço tão sério seja tratado com tamanho desdém apenas no sentido de dizer que entende de Bike Fit, com o objetivo de oferecer um serviço em que nada agrega ao ciclista.

De tudo volto com uma lição. É preciso oferecer aos ciclistas o mesmo respeito e seriedade com que eu gostaria de ser tratado na escolha e ajuste de uma bike. Bike Fit é coisa séria e Bike não é um investimento barato para ser tratado de qualquer maneira. Quando posicionamos alguém na bike é o material Biológico que está em jogo e não podemos tratá-lo de qualquer maneira.

Da mesma forma me sinto triste quando alguém me diz: “Nunca fiz um bike fit desses profissional, ajustei minha bike baseado em “tal” regra”. Isso pra mim é o mesmo que ouvir: “nunca fui a um médico desses profissional, mas o benzedor me disse que estou bem”

Mas que bom que pelo alcance das revistas, internet, facebook, twitter, site é possível divulgar o trabalho por nós realizado e assim pessoas do Brasil inteiro estão se deslocando na busca de bons serviços. Como disse anteriormente, isso só aumenta nossa responsabilidade e compromisso em sempre oferecer o que há de mais atual em Bike Fit.

Estou certo de que nunca seremos um “Sr. Alair” mas perceber que o fato dele ter um objetivo e trabalhar para isso foi o único diferencial da sua carreira, nos deixa certos de que mais importante que viver de Bike Fit é permitir que outras pessoas tenham prazer em pedalar.

João e Pedro são nomes fictícios para proteger a identidade dos clientes.